Pular para o conteúdo principal

MARCOS TEÓRICOS, CONCEITUAIS E METODOLÓGICOS


MARCOS TEÓRICOS, CONCEITUAIS E METODOLÓGICOS

O Currículo Municipal de Caém pensa a instituição escolar como espaço de práticas educacionais que possibilitem as condições necessárias para que os educandos desenvolvam suas habilidades e competências e aprendam o que for necessário para a vida em sociedade, partindo do conhecimento de sua realidade na dimensão cultural, social e política; sendo este, o sujeito de suas aprendizagens, capaz de ampliar o conhecimento em diversos níveis de aprendizagem.
Precisamos contribuir para criar a escola que é aventura, que marcha, que não tem medo do risco, por isso recusa o imobilismo. A escola em que se pensa, em que se atua, em que se cria, em que se fala, em que se ama, se adivinha, a escola em que apaixonadamente diz sim à vida (FREIRE, 1993).
As aprendizagens que os estudantes realizam na escola devem acontecer na interação com os pares em toda sua diversidade, nas construções e reconstruções, semelhanças e diferenças, com todos os elementos socioculturais possíveis, para a apreensão de valores, de forma dinâmica e dialógica; é nessa dialética que o homem se constitui enquanto sujeito da história e produtor de cultura.
         Nesse contexto, se faz necessário o entendimento que se tem quanto a competências e habilidades. 
              

Se propõe aprendizagens significativas, entendida como a interação da nova informação com os conhecimentos anteriores relevantes, o que implica a ousadia e disposição do sujeito para se relacionar com o conhecimento. Nesse contexto, cabe ao professor planejar situações de aprendizagens, organizar espaços e materiais, conhecer a estrutura cognitiva do educando, seus conhecimentos prévios, para que estes possam compreender e relacionar os fenômenos estudados. O professor precisa ter a clareza de que a construção do conhecimento se faz numa relação de vínculos de afetividade, de confiança, que se solidificam com o tempo, na partilha de saberes, nas decisões conjuntas, na clareza dos objetivos, quando o objeto a ser conhecido é significativo para o aprendente.
Para dar conta das demandas atuais a educação contemporânea precisa focar no ser humano de forma integral, olhando para a realidade local relacionando com a realidade global a luz do saber sistematizado. Algumas interrogações movem a educação atual. Quais experiências de aprendizagem devo proporcionar a meu aluno?  Como proporcionar aprendizagens significativas? Que são metodologias ativas?
A essas e outras indagações, o Ministério da Educação (MEC) salientou que:
Se o objetivo é formar alguém que procure resolver conflitos pelo diálogo, deve-se proporcionar um ambiente social em que tal possibilidade exista, onde possa, de fato, praticá-lo. Se o objetivo é formar um indivíduo que se solidarize com os outros, deverá poder experienciar o convívio organizado em função desse valor. Se o objetivo é formar um indivíduo democrático, é necessário proporcionar-lhe oportunidades de praticar a democracia, de falar o que pensa e de submeter suas ideias e propostas ao juízo de outros. Se o objetivo é que o respeito próprio seja conquistado pelo aluno, deve-se acolhê- lo num ambiente em que se sinta valorizado e respeitado (BRASIL, 1997).
Para que as aprendizagens sejam significativas precisamos estimular os nossos alunos permitindo que explorem os cinco sentidos, permitir que eles façam associações emocionais e informacionais, trabalhar com processo de retenção e recuperação do cérebro e com as memórias.
As pedagogias ativas podem ser compreendidas como os caminhos, metodologias, conjuntos de técnicas nas quais o estudante seja o sujeito ativo, participativo, comprometido com sua aprendizagem. As metodologias ativas levam o aluno aprender fazendo e a pensar no que faz. Para melhor entendimento, segue alguns exemplos de metodologias ativas:
     Gameficação (uso de tecnologia digital e outros truques)
     Elaboração de projetos (autonomia, equipe, liderança, solução de problemas)
     Sala de aula invertida (na flipped classroom os alunos leem o conteúdo em casa, antes da aula, e na sala o tempo é dedicado a discussão e resolução de questões.)
     Grupos de aprendizagem colaborativa
     Simpósio de pesquisa em classe
     Análise de estudos de caso
     Mapa conceitual
     Problematização, entre outros.